terça-feira, 14 de dezembro de 2010

FUTURO DO CAMPEONATO NACIONAL

Meus amigos, eu sei que sou um noviço nestas andanças, embora seja criador há mais de 20 anos, há apenas 3 ou 4 anos que comecei a participar em provas Nacionais e Internacionais.

Mas depois do que se anda a passar na nossa Ornitologia, e embora não esteja a par de problemas de secretaria, nem do que envolve os nossos dirigentes,nem estou interessado, aqui fica a minha opinião em relação ao que se esta a passar no nosso Nacional.
Se não fizermos algo para mudar o rumo dos acontecimentos, qualquer dia não temos um único criador que participa em Internacionais fora do País ou Mundiais, a participar no nosso Nacional.

É com imensa pena que este ano deixei de ver mais alguns nomes dos melhores criadores Nacionais, a participarem no nosso Nacional.
Alguns deles porque são juízes e como vão julgar não podem concorrer, outros porque as suas aves vão ao Mundial, outros porque participaram em Reggio Emilia, pensando depois levar as suas aves ao Mundial.
Cada um tem os seus motivos para não participar no nosso Nacional.
Mas será que estão certos? desculpem a minha ignorância, mas será que nós não nos estamos a esquecer da nossa casa, por acharmos, e infelizmente muitas das vezes com razão, que se não obtivermos prémios lá fora, não temos o devido valor como criadores, nem retorno económico que compense todo um esforço tanto humano como financeiro para termos um plantel de um bom nivel.

Não sei se já repararam, mas ainda este ano, como tem vindo a acontecer nos ultimos anos, participaram aproximadamente 1000 canários portugueses, dos melhores criadores Nacionais, no Internacional de Reggio Emilia(Itália)e que muitos desses criadores não participaram no nosso Nacional.
Não digo que não tenham as vossas razões por adoptarem esta atitude, mas deviam parar um pouco para pensar, antes que seja tarde, porque cada ano que passa o nosso Nacional, vai perdendo a participação de mais alguns dos nossos melhores criadores, perdendo assim a qualidade, e o seu prestigio.
E ao fim ao cabo só quem fica a beneficiar com a nossa atitude, são os italianos, que cada ano que passa, mais forte vai ficando o seu Internacional(Reggio Emilia).

Penso que somos todos culpados pelo que se está a passar, e só não vê quem não quer ver, desde dirigentes, a juízes, passando pelas organizações dos Nacionais, e por nós próprios criadores.
Porque das duas uma, ou nos unimos todos, e mudamos a mentalidade de todos, para que todos os criadores que dantes participavam, voltem novamente a participar no nosso Nacional, ou daqui a alguns anos se queremos ver a qualidade dos canários de alguns dos melhores criadores Portugueses, temos de nos deslocar a Reggio Emilia(Itália), ou ao Mundial.

Já pensaram que se tivessem uma prova em Portugal, quer seja o Nacional ou um Internacional, em que todos os criadores aderissem sem excepção, passados alguns anos também poderiam ter o sucesso de outros inventos na Europa, como é o caso de Geel.
Será que não andamos a engordar os bolsos dos italianos, e nos estamos a esquecer que temos valor para podermos também nós, organizar todos os anos, na mesma data e local, também um evento de nível Internacional, onde todos nós criadores Portugueses devemos participar com o que de melhor temos para mostar.
Todos sabemos que esse evento para ter sucesso só poderá ser efectuado no Norte do país.
O que pensam do meu ponto de vista?

6 comentários:

cartaxo disse...

Boa Noite Sr. Carlos. Sendo criador de canários à cerca de 12 anos, este ano decidi inscrever-me num cube, o COBL para poder começar a participar nalgumas exposições de aves da minha zona em 2011. Tento adquirir alguns conhecimentos na internet e também com alguns colegas que já participam neste tipo de eventos mas noto que ao visitar eventos como o último a que me desloquei no entroncamento aprendi bastante com alguns dos melhores criadores nacionais, o caso do Sr. Manuel Cintra, o Sr. Leandro e o seu caso, entre outros. Com isto quero dizer que se todos os nossos criadores tiverem a mesma atitude todos temos a ganhar pois com as opiniões de todos melhoramos cada vez mais. Se todos esses grandes criadores forem participar lá fora todos os iniciantes ficaram a perder. Não esquecer que “o que é nacional é bom”. Já agora o meu obrigado pelo PHAEO que me reservou é excepcional. Abraço Bruno Cartaxo.

Ricardo Oliveira disse...

É sem dúvida um ideia muito boa. Fazer em Portugal um grande evento com muita variedade de aves, e o mais importante, muita qualidade. Talvez um dia, alguns clubes se juntem e façam aquilo que já devia ter sido feito. Um grande internacional.

disse...

olá Carlos,

Faço minhas as tuas palavras. Temos de dar o devido valor ao que é nosso e defender os interesses da ornitologia Portuguesa.

A ideia de criar, ou de manter alguns inventos internacionais, como o caso do Campeonato do Atlântico, só faz com que ano após ano tenhamos mais afluência de criadores estrangeiros, gerando riqueza e dando prestigio ao nosso País.

Com esta postura, certamente os grandes nomes da nossa ornitologia, teriam no nosso país a "montra" que procuram em Itália para dar a conhecer o seu trabalho e vender alguns exemplares.

abraço

Carlos Faisca disse...

Boas noites

SrºBruno, espero que no futuro seja mais um criador a participar nesta e noutras exposições, em relação ao phaeo vermelho, espero que tenha sorte com ele.

Eu participei 2 anos seguidos no Internacional Atlantico, no de Caminha e no de Barcelos, e em qualquer dos dois a organização, foi 5 estrelas, mas este ano optei por mudar de ares.
Se houvesse mais participação por parte de todos, então eu continuava a participar, mas como não encontrei a adesão por parte daqueles que eu gostava que participassem, este ano não fui.
Para o ano logo se vê, ainda falta muito tempo.

Um abraço

Carlos Faisca

Carlos Ramos disse...

Caro Carlos

Concordo a 110% contigo, mas pouco há a fazer. A história é sempre a mesma, segundo um raciocinio bem enraízado por cá, segundo o qual tudo o que é ou vem do estrangeiro é melhor que o produto nacional. Se reparares, há diganmos que uma 1ª divisão de criadores que todos os anos se deslocam, ão a um mas a vários eventos no estrangeiro, desprezando a competição interna, associam-se em mini grupos e lá vão eles. Pode não se gostar, mas é uma opção pessoal que só a eles diz respeito, como já disse anteriormente não foi por isso que o CN não teve aves de qualidade, parece que os problemas foram outros. Temos que contar com os que cá estão e trabalhar com eles nada mais. As opções de cada um são da sua exclusiva responsabilidade e falrão por si.

Carlos Faisca disse...

Boa tarde Carlos

Eu compreendo todos os criadores que não participaram no Nacional, eu próprio pensei 2 vezes antes de mandar os meus canarios, visto estar a sobrecarrega-los com demasiadas exposições.
Mas depois pensei bem, e achei que devia de participar cá.
Só espero não pagar uma factura demasiada elevada, por ter participado em tantas exposições com alguns dos meus canários.

Sim porque infelismente um macho castanho pastel vermelho mosaico da equipa que mandei ao Nacional, e que foi desclassificada, que tinha 91 P, devia de ter comigo demasiadas sementes negras, penso eu(os meus canarios em casa só comem alpista, lá foi a tal conta) o que é certo é que ontem estava estendido em cima da grelha, tinha uma mancha vermelha na barriga. Este coitado já não vai a França, e eu que estava a contar com ele.
Mas podia ter acontecido na mesma sem ter participado no Nacional.

Eu no sábado, no Entroncamento, estive a meter alpista nalguns dos meus canários, porque vi um dos meus castanhos amarelos mosaicos da equipa um pouco em baixo, já esta melhor, mas não vai dar para o levar ao Mundial.
Um criador tem de contar sempre com contrariedades, porque ao fim ao cabo, eles são muito frágeis, nós é que nos esqueçemos disso.

Eu tambem estou a apanhar por tabela em relação ao facto de só o que vem de fora é que é bom.
E quando se começa a marcar fora, agrava mais a situação.

Para já "obrigaram-me" a deixar de ser sócio de um clube que já faço parte á mais de 20 anos, não havendo mais volta a dar, o que lamento. Já o devia ter feito há muito tempo, mas fui adiando uma atitude que devia de ter tomado há já algum tempo.

Para o ano penso participar novamente no nosso Nacional, em Famalicão.
Mas não devo de ir ao Internacional Atlantico, porque calha no mesmo fim-de-semana do Internacional da Costa del Sol em Torremolinos, que fica mais perto de minha casa, e depois como o Nacional é no Norte, prefiro ir ao Nacional.

Um abraço

Carlos Faisca