segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

FIQUEI EM 2º NA GERAL DO NACIONAL DE 2010, REALIZADO NO ENTRONCAMENTO COM 94 P.

Nem sei por onde começar, mas realmente houve alguns pontos negativos na organização do Nacional de Ornitologia deste ano, realizado no Entroncamento, mas também os houve positivos.
È sempre complicado agradar a Gregos e a Troianos, mas no meu parecer penso que todos nós somos um pouco culpados, por alguns pontos negativos que aconteceram este ano no nosso Nacional.
Sim, porque isto de criticar, e falar mal é fácil, mas só quem esta na pele é que sabe o trabalho que dá organizar um evento desta dimensão.
Estou completamente de acordo que quer os Internacionais Atlântico, quer os Nacionais realizados no Norte estão muito melhor organizados, talvez devido há experiência de alguns clubes de realizarem mais frequentemente provas desta dimensão, mas também porque existe um maior conhecimento pela parte do pessoal da organização, que se disponibiliza para ajudar, havendo uma maior entreajuda entre eles. Eu mesmo vivendo no Algarve, prefiro fazer mais alguns Km, e entregar os meus canários num Nacional no Norte de Portugal.

Penso que o Clube do Entroncamento, embora tenha um excelente pavilhão, com bastantes estacionamentos, para a realização deste evento, não tinha pessoal suficiente para dar andamento a uma exposição desta dimensão, como o é o Nacional.

Eu fui levar os meus canários no domingo de manhã, quando cheguei, estavam vários criadores há minha frente, o que me fez demorar um pouco a entrega dos meus canários, mas isso acontece em qualquer exposição desta dimensão, não vamos entrar por ai.Penso que o facto de só haver um computador, estava a sob recarregar, neste caso o SrºSilva(presidente do Clube do Entroncamento) que estava encarregue de fazer todas as trocas, alterações, impressão de etiquetas, e tudo o que se relacionava com o computador. Penso que mais uma pessoa com outro computador ao lado, facilita-se bastante o trabalho, dando um andamento diferente há entrega das aves.
A falta de pessoal, principalmente com alguns conhecimentos sobre as classes, também se fez notar, assim como a falta de carrinhos para transportarem as caixas das gaiolas para o local das gaiolas, mas isso resolveu-se facilmente com a boa vontade de todos.

Temos de louvar o empenho do pessoal que lá estava, porque que penso que todos deram o seu melhor, e se não fizeram melhor, era porque não sabiam, notava-se a falta de experiência.

Penso que todos os clubes que pensam organizar um Nacional, no ano anterior, devem de levar uma parte da futura equipa que irá organizar o Nacional seguinte,a fazer parte da organização do Nacional desse ano, para que todos possamos sair a ganhar, quer organização, quer criadores.
Tenho a certeza que se este clube organizasse no próximo ano novamente um Nacional, iria ser muito melhor.

No Nacional de 2008, que se realizou em Paços de Ferreira, embora se tenha entregue um diploma de todos os prémios a cada criador, o prémio entregue aos criadores foi uma lata, ou já se esqueceram?
Desculpem-me os implicados no assunto, mas foi um autentico gozo para com os criadores, que mereciam um pouco mais de respeito.

Este ano, a intenção não foi má, mas o papel que esta dentro da moldura entregue pela direcção aos criadores, é que não foi bem conseguido, deviam de ter metido alem da classificação do criador, os respectivos prémios descriminados por raças e pontuações, como se deve fazer num diploma de qualquer uma exposição, principalmente desta, tratando-se de um Nacional.
Embora pense que se poderia ter arranjado um pequeno troféu, para que todos pudessem levar uma lembrança para casa digna deste evento, tipo do que foi dado em Famalicão(um pequeno mapa de Portugal), feito em chapa, mas bastante bonito, que ate tenho colocado em cima da pedra da lareira da minha sala.

A revista relacionada com o evento, era para estar pronta na sexta-feira de manhã, assim que abriu a exposição, para que todos pudessem ter acesso á sua compra, para poderem tirar alguma duvida, ou até se fosse o caso, de poderem contactar qualquer criador por qualquer razão.
Acontece que levantamos os nossos canários no domingo á noite, e a revista que nos foi entregue, foi apenas de algumas folhas de publicidade, ficando o clube encarregue de a enviar pelo correio, outra parte com as classificações e todos os registos dos criadores que participarsam no evento. Que falta de respeito meus amigos, para quem leva um ano de dedicação aos seus canários.

Eu, como todos sabem vivo em Faro, e da minha casa ao pavilhão onde se realizou a exposição, são nem mais nem menos, apanhando a A 23, e depois a A 2, depois a A 13, apanhando depois o IP 1, ate apanhar a A 22, que atravessa quase todo o Algarve, são372 km, o que leva num dia normal,com uma paragem de 5 a 10 mn,para um café, e um xixi, e desentorpecer também um pouco as pernas, por volta de 3,00 h, mais coisa menos coisa.

Ontem vi logo que a coisa estava demorada para o meu lado, como este ano, não se deu o privilegio aos criadores de longe de serem os primeiros a apanhar os seus canários, como se faz normalmente no Norte do país.
Eu fui o criador nº255 a entregar o meu registo para o nacional, como tal tive de aguardar, apercebendo-me da demora que estava a ter o levantamento das aves, fui logo jantar, para aguentar com mais calma o desenrolar dos acontecimentos.
Quero agradecer a alguém da organização, que reparou que eu estava sentado numa das cadeiras do pavilhão, esperando por levantar as minhas aves e me chamou, eram praticamente 23h. Sai do pavilhão, já com todos os canários nas caixas, eram 23,20h mn.

A viagem de regresso foi um pouco mais demorada do que eu previa, devido ao nevoeiro cerrado que se fez sentir por quase toda a viagem, chegando a casa por volta das 3h da manhã, e bastante cansado devido á atenção redobrada que tive de ter.

A continuar assim, cada vez menos, aqueles criadores que normalmente participam em Internacionais fora do país e Mundiais, irão participar em Nacionais.

2 comentários:

joel.coelho1 disse...

Boa noite sr Carlos,eu não percebo muito ou nada de organizações deste calibre mas sei lhe dizer que avisam,em santarém tinha melhor organização que o nacional.As pessoas não formação tiverem que pra mim era o essencial, para todo correr bem, masw so com os erros aprendem.
parabens pelas suas aves
cumprimentos
joel coelho

Carlos Faisca disse...

Ola Joel

È isso mesmo Joel, com os erros é que aprendemos.
Tenho a certeza que na proxima vez que este clube organizar um Nacional, irá concerteza melhorar nalguns aspectos.
Mas independentemente do que se tenha passado, o pessoal que pertencia á organização está de parabens pela sua dedicação e esforço para que tudo corre-se da melhor maneira possivel.
Penso que o maior problema foi a falta de experiencia, porque simpatia e boa vontade havia bastante.
No meu ponto de vista faltavam meia duzia de colaboradores, já com alguma experiencia, talvez mesmo de outros clubes que pudessem ajudar no evento.
Temos de se ajudar uns aos outros senão cada ano que passa vamos perdendo mais criadores no nosso Nacional, o que não é bom para ninguém.
Vamos tentar inverter o que se passou, para que no proximo ano em vez de haver 315 criadores a participar possam haver 500, e em vez de 4500 aves, apareçam 6000.

Mas tal só é possivel se todos remarem no mesmo sentido.

Obrigado Joel e um Abraço
Carlos Faisca